domingo, 19 de julho de 2009

DÊ-ME UMA NAÇÃO EM CRISE E EU TE DAREI UM SALVADOR DA PÁTRIA

Antes de qualquer bronca, e também de parabenizar nossos aniversariantes de julho, resolvemos abrir o espaço para a msg que nosso confrade Marco Charuto distribuiu para o grupo (Yahoo).

É uma visão pessoal de nosso quadro político mas que pode nos ajudar a pensar nas eleições de 2010.


"Precisamos ser mais analíticos na nossa capacidade de prever muito além da linha que divide a esperança da realidade

Por que somos levados a apostar todas as nossas fichas em candidatos que são completamente desqualificados para os cargos de liderança do nosso país?

Simples, não temos tradição para rever a história, ela sempre tem se repetido ao longos dos séculos.

Foi assim na Alemanha durante a ascensão de Hitler que surgiu como o salvador da pátria já cansada e falida após a primeira guerra mundial; a esperança de dias melhores, da verdade absoluta, inquestionável e intocável...

Não tão distante assim no tempo, surgiu um líder sindical polonês, Lech Walesa. Líder autêntico da classe operária, ele foi admirável organizador de uma luta sem quartel contra a ditadura que sufocava a Polônia, por décadas. De uma resistência localizada em um grande centro industrial, espalhou-se pela totalidade do território nacional.

Ele lembra muito o nosso Lula de hoje, que aliás inspirou-se também nas lutas trabalhistas do lado de lá. Sua indiscutível liderança popular assim como Lula, mobilizou a sociedade. Os trabalhadores passaram a reivindicar melhores condições para o exercício das suas atividades produtivas. A universidade e os intelectuais despertaram para militância política como aconteceu aqui no Brasil também, quando Lula já era uma figura notória no cenário político-sindical . O mesmo ocorrendo com a juventude que na empolgação e na sêde de mudanças embarcou de corpo e alma nos projetos idealizados, não tão diferentes do então PT , sigla da qual Lula pertence até hoje. Era uma epopéia de um novo tempo, onde aquele valoroso povo (polonês e brasileiro) rompia com a passividade e demonstrava não mais ter medo dos burocratas autoritários sustentadores da ditadura sem alma. Notem que podemos estabelecer um paralelo ao escrever sobre as duas circunstancias sócio-políticas da época do Brasil e Polônia.

Politicamente e academicamente, tanto Lech Walessa como Lula são figuras de qualificações limitadas, orientados pelos ditos intelectuais, mostraram habilidades “excepcionais” nos discursos, esses nunca direcionados aos mais esclarecidos, mas que ganharam força mais pelas frustrações causadas pelas situações dos países. Esse é um detalhe interessante, os discursos dos políticos, nunca são efetivamente direcionados aos esclarecidos, sempre são inflamados e com uma linguagem bem acessível ao povão, mas que esconde por trás deles, a retóricas tradicional de todo político brasileiro, enganam-se aqueles que Lula é um político inovador, diferente e moderno, nele está incorporado os mesmos vícios dos antigos coronéis que em cima dos coretos, iludem a população ingênua.

O grave erro de ambos foi lançar expectativas lançadas em suas nações que pareciam factíveis se realizarem e que até hoje nunca foram concretizadas, por mais sinceras e verdadeiras até então que tenham sido as suas intenções de líderes populares . De um Lado, Lech Walessa que não pecou por malabarismos ou desvios de condutas dos seus auxiliares, ou mesmo do movimento“Solidariedade” e de outro lado temos o nosso Lula que hoje e capaz de prestar“Solidariedade” a um dos mais tradicionais coronéis da política brasileira, ex-presidente da república e hoje presidente do senado, Sr, José Sarney e também Fernando Collor, antigos desafetos e que agora se mostram amigos de infância e que o Sr. Sarney, “NÃO pode ser tratado como pessoa comum”, porque para ele a lei não deve valer. Esse claro despreparo para o exercício do poder é ofuscado pelos discursos direcionados, NÃO A VOCÊ que tem o discernimento e que pelo menos tem o bom senso para questionamentos mais apurados e que não se deixam levar pela epidemia PETISTA que sequer demonstram que o mais importante são os interesses na nação e não o poder, a hegemonia que querem impor ao país.

É tradição na política, sempre que um país está desgastado, sofrido, como o nosso Brasil, surgir um salvador da pátria e com Lula não foi diferente, só que ele veio como a esperança inovadora de realmente querer mudar o país e romper com tudo que havia de ruim, moralmente e eticamente na política nacional, mas o tempo no poder tem mostrado que ele encarnou tudo de ruim, moralmente e eticamente também. Faz alianças com o demônio e sua turma e ainda os defendem !

As contradições são muitas do PT: estão do lado de um antigo líder da ditadura, José Sarney, apóiam a ditadura de Cuba, abrem as pernas para a Bolívia e Equador e Paraguai, assistem da geral o Líder da America Latrina , Sr. Hugo Chaves, numa política armamentista de botequim, sem valorizar as nossas forças armadas, hoje sucateadas.

As promessas de reformas profundas baseadas nos preceitos de campanha e promessa no discurso de posse até hoje não foram implementadas...

Lula hoje também crítica os que tem qualificação e os acusam de serem os responsáveis pela situação do país e sua equipe forja (em período pré-eleitoral ), doutorados, mestrados, pós graduações.

Está no final de governo e atribui tudo que é de ruim ao FHC, e vai ser assim até o fim se a Dilma for eleita. Blindam a CPI da Petrobras, quando deveriam ser transparentes e apontar responsáveis, mas não, a turma dos sindicatos assumiu algumas gerencias estratégicas para certamente descobrir petróleo lá no ABC, onde ficam suas bases."

3 comentários:

katiagomes59 disse...

Eu adorei encontrar voces.
Gostaria muinto, manter contato com voces. Sera que vcs se lembram de mim? Espero que sim. Como eu devo fazer?

Zé Drinks disse...

Katia

Manda um email para
correadutra-subscribe@yahoogrupos.com.br

que nós te cadastramos no Grupo e vai poder ter contato com a turma. Não se esqueça de falar um pouco de vc (inclusive a dt de nascimento), pois com o tempo q passou, alguns estão ficando meio esquecidinhos.
bjão
Vô-Drinks

Byra disse...

Querido Marco Charuto e demais confrades, parabéns pelo texto e, principalmente, pela clareza das idéias apresentadas.