domingo, 12 de junho de 2011

Baú do Drinks - 1ª parte

Nada como um dia de frio para a gente remexer em nossos baús e buscar algumas das pérolas que ali guardamos com tanto zelo.

A primeira que achei foi uma há muito tempo pedida pelo Byra. Quem não se lembra do sorriso e do mate gelado acompanhado dos versos de que
"o pastel pra ser gostoso
é feito de madrugada
com a carne bem moída
gostosa e temperada"









Na mesma, ou melhor, na nossa praia, já despontava um grande atleta que ainda bem preferiu levantar a caneta que os pesos.
Dos anos 70, talvez nossa principal década,  muitos devem guardar preciosas lembranças, como de seus óculos, por exemplo.

No final de cada ano, a Pelada das Piranhas era marca registrada e algumas "meninas" com certeca fariam sucesso nas já tradicionais Paradas Gay dos dias de hoje.  




Não havia um concurso mas se houvesse, com certeza seria difícil escolher a Rainha.










Cada ano era uma alegria só.  Todos aguardavam o último dia do ano para ver as bonecas se enfrentarem no "buraco quente".


No mesmo "buraco" os atletas do volei já mostravam suas habilidades.




Um pouco turva, talvez pelos mais de 40 anos que nos separam do clique, esta pérola rolava no fundo baú.  Para quem não consegue reconhecer, de pé: Clerton, Roberto "Azulão" e Santalucia. Sentados: Tadeu, Claudio e Drinks.


De volta ao "brejo", um pedacinho da Correa de Baixo.  Destaque para Catarina e Bina, que reidem em Brasília e nosso confrade Ulisses "Peixe", que para nossa alegria compareceu em nosso último Encontro (2010) depois de um hiato de mais de 30 anos.



Na Correa Dutra, qualquer encontro era motivo de festa. E desde aquela época, como é possível observar, o Presidente J Drinks já era reverenciado por seus súditos, fiéis até os dias de hoje.


Na década de 70, nosso amigo Marquinho era a "rainha do brejo".

Maquiador da Globo e de Dª Dulce Figueiredo, viajou pelo mundo e sua maior glória, segundo ele próprio, foi ter sido convidado para ser duble de uma artista, pois o Diretor achava que seu corpo, de costas, era bem mais "sensual" que o dela.


Mas se Marquinho era uma bichinha genuína, existiam umas "paraguaias" que apareciam somente em momentos especiais.

Dizem as más línguas que alguns escaparam por pouco e como "as foto falam melhor do que as palavras"...

E para encerramos essa primeira e pequena parte de nosso baú, ninguém melhor do que o herói-bandido da Correa Dutra, Jhonny, que aqui aparece na sua eterna paquera com nossa confreira Ana.


Em breve, uma segunda parte...

9 comentários:

Luiz Claudio disse...

Rapaz,

O Centro de Documentação da Correa, abre suas portas e revela fotos históricas de nossa turma. Eu não sabia da existência dessa minha foto com a Sandra. Aliás. Acho que essa é a única foto que tenho junto com ela. Que legal, Zé!
Ver o restante da turma em fotos também inéditas (pelo menos para mim)dá uma baita saudade. Tô pensando em produzir um álbum. A Cecília faz uns bem legais. Assim, poderei levá-lo no encontro.

Kibe

Beto Olsen disse...

Rapaaaaaaaz,
Dá uma saudade...
Pior que não dá p´ra voltar no tempo e abraçar MAIS, gostar MAIS, falar MAIS p´ros amigos como gostava deles, passar MAIS tempo com os eles... Viver MAIS aquela época.
Dá uma "ligeira" depressão saber que esta época nunca MAIS vai voltar.
Para aqueles que já não estão MAIS entre nós fica a sensação de que não falamos, "cara... Eu gosto muito de vc".
A nossa sorte é que ainda temos tempo de fazer MAIS com aqueles que ainda estão por aqui.
Sempre amei, gostei, curti e admirei todos vocês. Mesmo aqueles que eu não tinha muita intimidade.
Hoje, nos encontros anuais, vejo vocês e sinto como gosto de todos. Todos mesmo.
Me desculpem, mas pqd sentimental fica meio GAY mesmo.
Espero voces no encontrão de fim de ano.
Beijão em todos.

Beto Olsen disse...

Ô Zéééé cachorro sem vergonha.
Vê lá as fotos que vc vai publicar hem???

Beijão

J Drinks disse...

Kibe e PQD

O Centro de Documentação da Correa Dutra está ansioso para receber doações de fotos antigas para nossa coletânea e claro, divulgação. Pelas poucas que possuímos já prevemos as edições 2, 3, 4, 5 ... de nosso baú.

Luiz Claudio disse...

Meu dileto Presidente,

Agora estou com o scanner aqui em casa. Tenho algumas fotos inéditas também. Vou começar a preparar algumas outras fotos e trarei para o blog.
Tem um detalhe porém. Não consegui postar fotos aqui. Será que perdi o status de administrador do Drinks e Kibe?

abs.

Kibe

J Drinks disse...

Kibe

Conferido, td OK, não houve qq mudança nem nos perfis nem nas autorizações. Favor rever.

sds

(e continua devendo...)

Byra disse...

Valeu, Presidente.....

Como nos ensinou o poeta Cazuza: "O tempo não para... não paaara"... mas, em contrapartida, sabemos que "recordar é viver". Muito obrigado por esses momentos maravilhosos e pela oportunidade de dizer aos nossos amigos "AMO VOCÊS". Encerro com a velha modinha:
"O pastel prá ser gostoso / é feito de madrugada / é feito com a carne assada / bem moida e temperada.
Vá comendo um pastelzinho/ e também tomando limonada."

Timotheo disse...

Zé, meu irmão muito obrigado pelo seu comentário no meu blog. Eu sei que não foi pra me agradar. Vc é um cara franco. Com certeza, se não fosse do seu agrado, ia preferir não comentar. Valeu Zé! Cara! O blog de vocês está um barato! Um abração para todos!
Vou aproveitar o seu coração generoso e vou deixar o meu blog.Falou?

www.josetimotheo.blogspot.com

Byra disse...

Lembranças do MARQUINHOS "BICHA" (era assim que o chamávamos, sem qualquer conotação de homofobismo, era pura homenagem....rs)

Local: LAMAS (Senador Vergueiro)

Retornando de Juiz de Fora, separado, durante um período de adaptação, retornei ao Lamas, onde era 'mimado' pelo veterano garçom Vieira, e sempre encontrava um bom papo. Numa dessas investidas, reencontrei o Marquinhos, em sua 'fase final', afetado e 'soltando a franga'...rs... muito diferente daquele 'jovem recatado' de anos anteriores..., mas o importante foi revê-lo, sentar com ele e colocar a conversa em dia. Foi muito legal, mas, infelizmente, foi a últimva vez que o vi com vida. O detalhe dessa noite, que seria igual a outras, é que na ocasião, sentados em uma mesa de canto, nossas conversas eram engraçadas e os trejeitos do Marqunhos, mais ainda. Ele insistia em rir, me agarrar e dar beijinhos, chamando a atenção. E conseguiu. Em certo momento, ele descobriu uma morena faceira que insistia em nos olhar, mesmo de modo discreto, e que sorria muito (um belo sorriso), atenta ao nosso colóquio. Sem perda de tempo, me alertou ao fato e, pior, passou a me abraçar mais ainda, dizendo que era uma 'tática para despertar o interesse da jovem'...rs.. Confirmado o 'flerte', solicitei ao Vieira que entregasse o número de meu telefone à jovem, mas,diante de um perplexo pombo-correio, Marquinhos tirou o papel de suas mãos e dirigiu-se até a mesa da jovem. E chegou simulando um 'barraco', uma cena de 'ciúmes'... rs... e diante do 'susto' da jovem, o 'cupido' desmanchou-se em risos e rapidamente tornou-se 'íntimo' de todos da mesa e não só atravessou o telefone, como se encarregou de 'vender'o produto. E deu certo, ela ligou. Ele era bom nisso.

Registro essa recordação, como fruto das saudades do Marquinhos 'Bicha'.

Abraços,

Byra