sábado, 13 de junho de 2015

O Tempo Não Pára


Disparo contra o sol
Sou forte, sou por acaso
Minha metralhadora cheia de mágoas
Eu sou o cara
Cansado de correr
Na direção contrária
Sem pódio de chegada ou beijo de namorada
Eu sou mais um cara

Mas se você achar
Que eu tô derrotado
Saiba que ainda estão rolando os dados
Porque o tempo, o tempo não pára

Dias sim, dias não
Eu vou sobrevivendo sem um arranhão
Da caridade de quem me detesta

A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas idéias não correspondem aos fatos
O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não pára
Não pára, não, não pára

Eu não tenho data pra comemorar
Às vezes os meus dias são de par em par
Procurando agulha no palheiro

Nas noites de frio é melhor nem nascer
Nas de calor, se escolhe: é matar ou morrer
E assim nos tornamos brasileiros
Te chamam de ladrão, de bicha, maconheiro
Transformam o país inteiro num puteiro
Pois assim se ganha mais dinheiro

A tua piscina tá cheia de ratos
Tuas idéias não correspondem aos fatos
O tempo não pára

Eu vejo o futuro repetir o passado
Eu vejo um museu de grandes novidades
O tempo não pára
Não pára, não, não pára


Link: http://www.vagalume.com.br/cazuza/o-tempo-nao-para.html#ixzz3czymdKro


Compositor: Cazuza/Arnaldo Brandão



Uma pequena homenagem para WALTER CURI  e  CLAUDIO KIBE, os mais novos vovôs de nossa Confraria.  Que sejam benvindos a este seleto grupo.











2 comentários:

Luiz Claudio disse...

Pois bem. Ser pai, é receber a emoção de sentir o amor verdadeiro por alguém. Amor que transcende o mundano e nos traz um sentir mais espiritual. É saber que ali está alguém a quem você deve ser mais do que pai: um educador. Este é seu dever.
Ser avô, ainda é para mim, uma novidade. É sorrir do sorriso daquela criança que veio ao mundo e que desde então, passarei a ter a responsabilidade de ser mais do que pai, mais do que educador, mas de ser um bom conselheiro. Alguém que já passou por poucas e boas e que tem algo mais para ensinar, se assim me for pedido ou caso eu perceba.
Sou novato nesta área, amigos. Mas prometo me esmerar para ser um avô querido. Um "vô" que esteja sempre de bom humor para as coisas lúdicas e sérias que se apresentarem neste universo pueril.
Assim, espero!

J Drinks disse...

Meu amigo Kibe, e agora companheiro na arte de ser vovô, temos a certeza que vc será um cara muito legal e saberá contar muitas histórias para "seus" netinhos.

Mas não se esqueça que essa alegria só vai ser completa quando estivermos juntos para come(bebe)morar.

Bjundas do (vovô) Drinks.

ET.:
quando Marina, aos 4 (agora com 5) disse pela primeira vez: - vovô, eu te amo...
juro que tremi nas bases e tremo até hoje quando ela repete ou mesmo apenas penso nisso.