segunda-feira, 15 de agosto de 2016

O sentimento e as marés - Mário Neves



 
S
entimento. Podemos compará-lo às Marés.
Passa despercebido na maioria dos momentos,
mas quando aparece, vem com a força de um mar revolto, agitado,
como uma ressaca levada ao extremo que explode em ideias,
como as ondas que rebentam nas pedras depois de um longo período de calmaria.
Despercebido, é guardado nos sete sentidos,
com a certeza que num momento será ouvido, percebido...
O sentimento mexe com tudo,
como o fundo de um mar proibido que o tempo trás à tona.
Faz renascer amizade interrompida,
que deixou cicatrizes que vivem escondidas, com medo da própria vida.
Ah, maré! O fundo do mar existe como depósito e tudo guarda,
mas quando esse mar agita, se revolta,
como o próprio sentimento,
tudo vem à tona para ser revisto, e resolvido.
A natureza é sábia.
E você existe.


Essas palavras, que se encaixam como um curto poema, foram rabiscadas por nosso confrade Mário "Comendador" Neves, no último dia 2 de julho (2016), data que ele faz questão de lembrar.
 
Esse cara é um grande amigo, e muito querido por nossa turma. 

Faz parte de uma das famílias pilares de nossa Confraria, formada pelos irmãos Celinha, Frango Del, Claudia, Tamba e Conceição. 
 
Casado com Arlene, pai de Luana e Rômulo, que lhe deu uma linda netinha (Amanda).
A música, o samba, e a cervejinha, são parceiros inseparáveis, e pelo que sentimos, continuarão juntos para todo o sempre.

Botafoguense ativo, sofre e vibra com seu time, assim como é incansável na direção do REBARBAS, bloco que mantém o samba vivo e ativo todo o ano para nossa alegria.

Parabéns Mário, e continue a nos mandar pérolas como essa. 

Esperamos que outros de nossos confrades também o façam, como o Betinho Chahahahhaiara (adoro escrever esse nome) e Byra, já fizeram um dia, e esperamos que repitam.

Este espaço é nosso, para contar as nossas e outras histórias.








Um grande abraço meu amigo, mas as saudações são tricolores.

5 comentários:

Luiz Claudio disse...

Não poderia deixar de comentar a "visita" deste irmão, que faz sua estréia em nosso blog; nos concedendo uma grata surpresa ao nos fazer mergulhar na maré de seus sentimentos, de forma singela mas profunda.
Seja bem vindo, às nossas páginas literárias, meu irmão! Que as teclas do computador continuem a traduzir seus sentimentos; afinal, é no fluxo das marés que a poesia vem bater nas brancas areias de nossa amizade!

Volte breve!

Claudio Kibe

Andre Sampaio disse...

Grande, Mário Neves!!! Sujeito querido assim como seu o filho Rômulo que eu tive o prazer de conhecer também. O mais engraçado é que foi em circunstâncias e momentos diferente sem saber que eram da mesma prole. Um no samba e o outro no futebol. Há coisa melhor? Mas regado a muita cerveja em comum.

Forte abraço, meu camarada!!

Cristina Mezzavilla disse...

Muito lindo seu poema .Eu gostaria de saber expressar meus sentimentos assim também.
Uma vez escrevi sobre meu cachorro que faleceu , contando a vida dele como foi comigo e depois agradeci a ele por ter feito parte da minha vida. Na época dei o nome de MINHA VIDA DE CACHORRO. Esta guardado, foi a única vez q escrevi.
Você tem jeito , deveria escrever mais... Parabéns

Sueli Barcellos disse...

Valeu Mário Neves, muito bacana, saudações Botafoguense

Beto Chahaira disse...

Valeu Mário!
Que a força de nossas marés traga sempre a tona os nossos mais profundos sentimentos!
Viva a poesia! Viva o samba! Viva a amizade!
Abraços e saudações botafoguenses!

Beto Chahaira