sexta-feira, 9 de setembro de 2011

28/29 DIAS - parada de 7 de setembro



 

28/29 Dias 

 Ontem, pouco antes de sair, o Byrão comenta:
   - Amanhã é dia 7 de setembro e nós não vamos marchar.
   - É a primeira vez que não vamos marchar juntos. O Byra respondeu.
   E ele tinha razão, pois seria, e como realmente foi, a primeira vez que desde que foram convidados a participar do desfile, com a representação da Maçonaria, que não desfilariam juntos. Frase simples, observadora, que demonstra a presença de uma lucidez esperada. O velho Byrão, contente, despede-se e sai, o Byra segura minha mão e diz:
   - Zé, vai com o pai que ele está nervoso ...
  Foi realmente o melhor dos dias. Um pouco de cada coisa. Um muito para nós que nos encheu de alegria. Mas o tempo não para e hoje, manhã de 7 de setembro, nova visita ao Guerreiro sonolento. Para alegria de todos, pela primeira vez, dois dias seguidos de um semblante animador. Um pouco mais sonolento, talvez por ser mais cedo, 10 horas da manhã, e segundo a enfermeira de plantão, continua a ficar muito tempo acordado de noite. É quando ele se agita mais, chama as enfermeiras e não para de reclamar. Nos parece um sono natural, com bocejos, sem a prostação de dias anteriores. Pode também ser o sintoma da "flutuação" prevista pelos médicos, mas num nível bem inferior, com mais tempo de consciência. Nem tudo é positivo e o Byra se confunde ao conversar com o amigo e irmão Alexandre Maranhão. É a primeira vez que notamos tal confusão, fato que os médicos já alertaram e infelizmente não há como evitar, apenas torcer para que seja um mal passageiro. Encerra-se a visita, agora mais confiantes, com a certeza de que a "flutuação" existe mas tende a reduzir, para melhor.

   Dia 8, um dia parecido com o anterior, sem muitas novidades. Momentos de conversas, de beijos e claro, sede e sonolência. O Byrão traz uma novidade. Na preleção, diante da tropa, o Coronel Belo, responsável pelo desfile, afirma para todos que aquela marcha seria em homenagem ao nosso valente Guerreiro. A parada é dura, cansativa, longa e penosa, digna de um soldado lutador, FORTE, TEIMOSO e CABEÇA DURA. A vida continua.

5 comentários:

Jeronimo disse...

A marcha é longa, mas começa pelo primeiro passo. Estamos vendo que progresso está vindo junto com ela. Ficamos felizes.

Abração,

Jero

Amaro Crespo disse...

PRESIDENTE,

Vamos em frente . Enverga mas não quebra !!!!!

Amaro

Alexandre Guimarães.´. disse...

Mano Zé Neto,

Tenho certeza que o Byrinha vai se recuperar mais rápido do que pensamos.

Permita-me a “petulância” de dizer que tive a impressão que ele ficou mais para intrigado do que confuso. Digo isso porque naquele momento ele me disse baixinho: ”Você não me é estranho"... Rsrs!”. Sei que dentre em breve ainda daremos boas risadas sobre essa cena!

Pouco a pouco nosso irmão vai acessando os arquivos de memória. Afinal, são muitos “gigas” de informação acumulada.

CAMIRAM

Dagoberto.´. disse...

Que bom

Dago

José Luiz (Costa do Sol) disse...

Continuamos firmes, uma guerra sempre é longa e feita de pequenas e acirradas batalhas.
Mas sempre em mente o lema: RENDER JAMAIS !!
Um abraço do amigo
j.luiz